David Jeske – uma doce maneira de administrar a vida

0
647

Empresário lançará a nova coleção de postais da Pelotas Turística, um projeto que visa incentivar o turismo valorizando a história, cultura e tradição da Princesa do sul.

por : Isabelle Domingues

David Jeske - Foto: Arquivo Pessoal
David Jeske – Foto: Arquivo Pessoal

Doceiro, empresário, fotógrafo, astro de rock nas horas vagas… David Jeske é criativo, versátil e, sobretudo, um grande sonhador. Alguém que acredita no lado bom de todas as coisas. Seu positivismo é refletido tanto no modo de pensar como também de agir e estabelecer relações com o outro. Atitudes para Augusto Cury nenhum botar defeito.

A mais nova aposta do jovem empreendedor? Uma coleção de postais que homenageiam a cidade de Pelotas, valorizando o passado, mas também construindo uma nova história. E foi justamente para falar sobre esse projeto, que o e-cult esteve reunido com David Jeske, num bate papo gostoso e descontraído, em meio aos amigos do empresário, onde assuntos como política, logistica, arte e patrimônio também estiveram presentes na roda.

Olhando para o futuro - Foto Arquivo Pessoal
Olhando para o futuro – Foto Arquivo Pessoal

Olhando Para o Futuro
Estava eu a saborear um delicioso cafézinho e aquele quindim dos deuses, nas dependências da Imperatriz Doces Finos, localizada no Mercado Central – parada obrigatória no meu fim de tarde – quando fui surpreendida por Sergio Silveira, proprietário da d’Camaleão. Estava sendo convidada a juntar-me à mesa com David Jeske e seus amigos.
O nosso encontro já estava marcado. O assunto da vez? Pelotas Turística, uma coleção de postais que o empresário lançará esse mês. Mas estar com David Jeske é dividir bons momentos e um bate papo fervoroso e engajado, contando sempre com a participação de tantos amigos for possível. É uma de suas características reunir, agregar, compartilhar, aprender com o outro. “Todo mundo é diferente. Não tem certo ou errado. Tem a troca. Eu posso te somar em alguma coisa e vc a mim”, diz ele.
Há três anos gerenciando o negócio da família, a Imperatriz Doces Finos, Jeske divide seu tempo entre a empresa e as iniciativas ligadas à cultura e turismo na cidade de Pelotas. O empresário, que abastece a página do Mercado Público na internet, também é um dos responsáveis pelo Expresso Quindim, ônibus Chevrolet Brasil, fabricado em 1961, na sugestiva cor de um dos doces mais tradicionais de Pelotas, que leva os visitantes a um gostoso passeio pelo centro histórico da cidade.

Jeske ainda une forças com a arte local, dentre elas, o grupo Tholl. Para ele, valorizar a história, cultura e tradição locais é uma das principais ferramentas para desenvolver a cidade. Em função disso, parcerias são sempre bem vindas.

“Turismo tu não fazes sozinho. Turismo é integração. O Quindim é a justamente isso, veio para complementar essa união. É cultura, respeito, integração, uma nova história para Pelotas. O site gera um canhão de informação cultural, divulgação dos shows, divulgação econômica. É uma ferramenta de comunicação com o pelotense. Esse projeto não foi para divulgar só o Mercado e sim, a cidade como um todo. Hoje temos mais de vinte mil curtidas, pessoas compartilhando e comentando a página. Ela foi feita para mostrar que o pelotense têm coisas boas, que ele pode trabalhar em conjunto e crescer”, comenta Jeske, sobre a página do Mercado Público e o Expresso Quindim, iniciativas do empresário para fomentar o desenvolvimento econômico e o turismo no município.

David e os amigos Eduardo Radox, Sergio Silveira e Leonardo Avila. Foto: David Jeske
David e os amigos Eduardo Radox, Sergio Silveira e Thiago Vieira. Foto: David Jeske

Transformando Vidas
“Quanto mais tu cresces, mais importante é o teu papel na cidade, na comunidade. Um papel importante em vidas, pois tu podes mudar a realidade cultural e histórica de uma cidade”. David Jeske

Em sua missão como empreendedor, David fala da importância de estar sempre se renovando, além de não abrir mão de certos princípios. Para ele, o mais importante, mesmo antes do lucro propriamente dito, vem o criar valor, palavra bastante presente seu discurso. “Hoje o mundo cresce num movimento frenético, mas esquece a sustentabilidade. Não só ambiental, mas de seres humanos, de valores. É preciso crescer com propósito, com uma missão. A missão de construir valores. Quanto mais tu cresces, mais importante é o teu papel na cidade, na comunidade. Um papel importante em vidas, pois tu podes mudar a realidade cultural e histórica de uma cidade”, considera.

“Toda mudança gera algo bom e ruim. Ser imortal é tu morreres e teu serviço continuar. Isso é ter sucesso”. David Jeske

Arquivo Expresso Quindim
Foto: Café Viagem

Quando pergunto ao empresário qual seria o melhor caminho para o sucesso, Jeske aponta alguns ingredientes de sua receita, embora acredite não existir uma fórmula concreta para alcançá-lo. “O sucesso é algo intangível. Não existe um modelo de sucesso, não existe um modelo de se sentir bem. Isso vem de dentro. É transformar uma comunidade, ver funcionários e sua empresa desenvolvendo, ver a cidade mudando. É vc ser imortal, imortalizar a sua história. As vezes tu vês pessoas que criaram serviços de muita importância no mundo. Toda mudança gera algo bom e ruim. Ser imortal é tu morreres e teu serviço continuar. Isso é ter sucesso”, afirma Jeske.

Um certo brilho no olhar, repleto de orgulho e satisfação, tomam conta do jovem empresário, quando o assunto é elogiar o bom trabalho de seus funcionários. “Eu tenho um papel além do meu negócio. Empreender é transformar, conversar, valorizar. É cuidar e, ao mesmo tempo, ter dinheiro, porque sem dinheiro tu não fazes essas coisas. Ele é uma ferramenta, mas não é foco. A questão é o diálogo, o sonhar, a importância do que cada um faz. Todo mundo têm importância nessa terra, a gente tem que valorizar cada um em sua individualidade (…) A minha empresa só vai dar certo se eles estiverem dando certo. Eu não sou mais ou menos que eles, eu sou igual a eles. Vc emprega pessoas. Cada um está aqui por uma necessidade. Eles precisam experimentar e crescer profissionalmente ou pessoalmente, aprender a importância do que fazem”.

David e Mister Negrinho comemoram o sucesso do personagem - Foto Arquivo Pessoal
David e Mister Negrinho comemoram o sucesso do personagem – Foto Arquivo Pessoal

A Parceria Que Deu Certo
Foi então que uma longa viagem, diretamente do reino das delicias, trouxe Mister. Negrinho para Pelotas. O docinho que virou gente, após o encantado Beijo de Mulata, hj é só alegria em sua nova morada, o Mercado Público de Pelotas. Mágica, cultura e tradição misturam-se na criação desse doce e talentoso personagem vivido pelo ator e compositor Eduardo Amaro Radox.

Filho do Rei Alberto, cunhado do Bem Casado, mesmo com o Olho de Sogra sempre a espreita, um romance sem igual, daqueles que inspiram até mesmo Romeu e Julieta, mudou o rumo da história de Mister Negrinho. E tudo isso ainda contando com a proteção de Santa Clara. Alguém aí teria dúvidas de que este personagem seria o maior sucesso? Olha, eu nunca tive. David Jeske então, nem se fala. Aliás, fala, sim! E fala com vontade, com orgulho e admiração de seu amigo Radox, a quem apoiou desde o primeiro momento, na idealização de um personagem que já virou patrimônio da princesa do sul.

“Ele transforma uma história triste em algo bonito de ser lembrado. É uma forma de mostrar que o negro teve um papel muito importante na cidade de Pelotas”. David Jeske

Mais do que um personagem criativo e bem humorado, que habita o reino da fantasia e a imaginação de seu público, Mister Negrinho carrega consigo todo um simbolismo cultural. Trata-se de uma referência à história, homenagem ao negro e toda sua colaboração para com o desenvolvimento da cidade. É um resgate histórico, como afirma David Jeske. Aliás, quem melhor do que ele para falar da nova celebridade do Mercado Público de Pelotas, não é mesmo?!

“Ele transforma uma história triste em algo bonito de ser lembrado. É uma forma de mostrar que o negro teve um papel muito importante na cidade de Pelotas. Mostra que é possível se empoderar, ocupar um espaço dito elitizado. Mostra que a cidade é nossa. Ela não é de ninguém, ela é nossa! Ela é do rico, do pobre, do branco e do preto. Eu via o Eduardo sofrendo racismo, não se sentindo valorizado e pensei que nós deveríamos mudar isso. Criamos um personagem cultural, carismático, turístico mesmo. É uma ficção para mostrar que o negro pode, sim, produzir, buscar o seu espaço, trabalhando, mostrando o seu valor. Ele vem para provar que todo mundo pode, sim, ajudar a cidade a crescer com pequenas ações. Tem que empreender, criar valor. O Eduardo passa a ser um patrimônio de Pelotas, agora. Uma figura viva. Ele mostra a cidade como ela é, sem vergonha, com orgulho, tanto da tristeza quanto do que temos de positivo. Transforma toda aquela história que era pesada, de sofrimento, em orgulho. Traz a relação do negro na comunidade e na produção do couro. A relação do negro no sentido de ser negro mesmo, e sua importância para o desenvolvimento de Pelotas. Resgata toda essa história importante e traz a tona de novo”, comemora Jeske, sobre o personagem de seu amigo.

Fotografar é uma das grandes paixões de David - Foto Arquivo Pessoal
Fotografar é uma das grandes paixões de David – Foto Arquivo Pessoal

Um Click Na História
Primeira coleção, quatro fotografias de patrimônios diferentes de Pelotas, Turismo e empreendedorismo aliados em pró da beleza e tradição de nossa cidade. Pelotas Turística é um conjunto de postais que reverencia a história e cultura locais a partir do olhar poético e muito particular de David Jeske e também de um de seus parceiros de criação, o fotógrafo Gustavo Mansur.

As primeiras imagens que compõem o projeto, uma iniciativa privada sem fins lucrativos, estão sendo comercializadas desde o início de abril, na Imperatriz Doces Finos, na loja Doces Lembranças e também pelas mãos de Mister Negrinho. Retratam a fachada do prédio da Secretária de Cultura, a Colônia Z3, o Museu do Doce, ou Casarão 8, como também é conhecido, além de um belo recorte do Mercado Central. Cada ponto registrado nas fotografias exalta características importantes de Pelotas. Fazem referência à construção de sua identidade. Heranças como a gastronomia, arquitetura – influência na Belle Époque européia – a lagoa dos patos e o poderio econômico de uma cidade enriquecida através da produção do charque, são evidenciados nesta primeira coleção. A vendagem de mil postais, alcançada em apenas sete dias de lançamento, e o dinheiro arrecadado, permitiram a criação das próximas coleções.

João Simões Lopes Neto e Mister Negrinho estão entre os próximos temas da coleção Pelotas Turística. Foto: David Jeske
João Simões Lopes Neto e Mister Negrinho estão entre os próximos temas da coleção Pelotas Turística. Foto: David Jeske

Dentre as temáticas que ainda virão tem espaço também para um certo escritor, jornalista e dramaturgo pelotense, muito chegado em contos gauchescos e algumas lendas do sul. Um moço bastante promissor, diga-se de passagem. Comentam por aí que ele continua encantado pelos cabelos da china, gosta de contar “causos” de um certo Romualdo, sem que seja preciso nem mesmo esperar pelo mate do João Cardoso. É que ele se dá muito bem com as palavras e, no que diz respeito ao dicionário gaúcho, te dá uma aula e tanto. Talentoso o moço! Atende pela graça de João Simões Lopes Neto. Quer conhecê-lo um pouco mais? Pois então é só esperar pelas próximas coleções de postais da Pelotas Turística, que homenageia o escritor e também empresário, cuja obra possui valor inestimável à cultura gaúcha.

Quando idealizou o projeto, ao lado dos amigos Sergio Silveira, da d’Camaleão; Renata Magalhães da Nwp Crossmedia; Graça Argoud da loja Doces Lembranças e do fotógrafo Gustavo Mansur, Jeske descobriu que Simões Lopes foi um dos pioneiros na arte de postais em Pelotas. Brasiliana é uma homenagem ao escritor. “São os postais do Simões Lopes. Eu espero com esse trabalho reencontrar essa coleção e trazer isso, homenageando Simões, que foi uma personalidade em Pelotas. O sonho de Simões está vivo! Ele foi um grande fomentador do progresso em Pelotas, um grande empreendedor, um grande homem. Temos que trazer essa imagem de novo. O que ele fez não pode morrer. Trazer tudo que Pelotas foi, é e ainda pode ser. Cuidar do turista, cuidar do pelotense, cuidar do patrimônio”, refere-se David, sobre a nova coleção.

Sergio Silveira diz estar muito satisfeito com o resultado. “Foi uma surpresa. O David me deu a oportunidade, me cobrou. Achei que era difícil, que talvez não fosse a hora, mas ele disse pra eu acreditar. E deu super certo. Deu mais que certo. Em menos de uma semana acabamos com os postais”, comenta Silveira. “Criar valor para a cidade, ver a reação do público, isso não tem preço. O turismo ganha muito com isso”. Silveira destaca que os postais não trazem somente a imagem dos prédios históricos, mas também a história por trás do prédio, no verso do postal, enriquecendo ainda mais a coleção.

Para David o principal objetivo dos postais é revelar a beleza de Pelotas, despertando no pelotense a importância de cuidar do seu patrimônio, além de apresentar ao turista o que a cidade tem de melhor. “São imagens lindas do nosso amigo Mansur, que cedeu as fotos com gentileza, pois entende que é muito importante essa divulgação. Tem fotos minhas também. Eu faço essa brincadeira de fotógrafo que dá certo. A ideia é mostrar que Pelotas é linda. Mostrar o ângulo positivo de Pelotas. Eu espero que mude a cidade como um todo, que faça o pelotense entender que a cidade dele é linda, que ele pode cuidar e pode questionar porque o prédio está abandonado, mal cuidado ou porque a janela está quebrada e, em cima desse diálogo, construa o que Pelotas tem que ser, uma cidade bonita e preservada”, ressalta o empresário.

Dentre as produções da Pelotas Turística, Mister Negrinho também será tema de uma coleção de fotografias feitas especialmente para ele. Outras duas coleções que farão parte do projeto será uma assinada inteiramente por David e outra com imagens de captação de Drones, feitas pela Pelotas Aérea. O lançamento dos próximos postais será dia 25 de abril, no Mercado Público.

David Jeske e o Rock'n Roll, amizade antiga. Foto Arquivo Pessoal
David Jeske e o Rock’n Roll, amizade antiga. Foto Arquivo Pessoal

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA